A Cabanha JP DORPER RIO está localizada em ARARUAMA, no Rio de Janeiro

JP DORPER RIO

Empresa especializada em SELEÇÃO GENÉTICA de ovinos da Raça Dorper
Nossa missão é produzir animais PO (puro de origem) da raça Dorper selecionando os melhores exemplares nascidos em nosso plantel e/ou adquirindo a genética de outros criadores, a fim de alcançarmos a excelência no padrão racial.
Escolhemos a raça Dorper por ela ser muito bem sucedida e próspera na África do Sul e Austrália.
A rusticidade e a precocidade associadas ao elevado ganho de peso com mínimo tempo até o abate é o que buscamos.
Para multiplicarmos a genética dos animais classificados como superiores utilizamos as mais avançadas técnicas de reprodução animal, tais como: Inseminação Artificial (IA) e Transferência de Embriões (TE).

Acreditamos que somente com um rigoroso critério de avaliação e seleção poderemos oferecer animais que sejam realmente superiores, contribuindo para a evolução do plantel de outros selecionadores, como também para o aumento da produtividade das criações comerciais.

Como o Brasil está em fase de expansão de plantel da raça Dorper, ainda não há abate de animais PO. Portanto, estamos multiplicando o número de animais para fornecimento de reprodutores para outros criadores de Dorper ou para aqueles que fazem o cruzamento industrial, isto é, cruzar Dorper com outras raças para a melhora do resultado de carcaça.
Temos venda permanente de animais PO e cruzados.

VISITE O NOSSO SITE

http://riodorper.blogspot.com/


quinta-feira, 3 de maio de 2007

Transferência de Embrião

A Transferência de Embriões é uma técnica que permite a propagação do material genético. A fêmea ovina passa por um tratamento de superovulação que vai possibilitar a obtenção de vários embriões em uma única coleta.
Em média tem-se um índice de 8 a 12 embriões viáveis por coleta de cada doadora. Resumidamente uma ovelha poderá presentear ao seu proprietário em até 40 crias anuais.
A Transferência de Embriões (TE) destaca-se atualmente como uma ferramenta importante para a promoção de melhoramento genético do rebanho em curto período de tempo. A utilização desta tecnologia tem-se popularizado.
Para a obtenção de índices satisfatórios na utilização da TE, alguns pontos de entrave devem ser melhorados, como eficiência de detecção de cios, correta manipulação de ondas foliculares, manejo nutricional e sanitário de doadoras e receptoras, utilização de meios e técnicas adequadas para a manipulação dos embriões, etc.

O que é necessário?
As ovelhas doadoras;
As ovelhas receptoras;
Sêmen reprodutores;
21-22 dias desde o início dos trabalhos até a coleta dos embriões;
Animais devidamente alimentados;
Resultados esperados:

Em torno de 8 embriões por doadora, em média, por coleta;
As doadoras podem ser coletadas a cada 40-50 dias, portanto, em torno de 6 vezes ao ano em algumas regiões do Brasil, havendo a possibilidade de cada fêmea produzir anualmente 30-40 cordeiros.

Nenhum comentário: